quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Oceanário de Lisboa

Um dos passeios mais legais pra se fazer em Lisboa é visitar o Oceanário que fica no Parque da Nações, local onde em 1998 aconteceu a última exposição mundial do século XX. O oceanário foi inaugurado durante essa Expo, cujo tema era "Os oceanos, um patrimônio para o futuro" e ficou como legado para a cidade.

É um aquário gigante totalmente dedicado aos oceanos e à sua conservação. Um dos três melhores aquários do mundo.

Pelo lado de fora são dois prédios ligados por uma rampa, entramos pelo da direita, que tem uma cascata saindo da marquise e é revestido com placas imitando escamas de peixe. Na entrada tem uma loja bem legal onde se pode comprar souvenirs de todos os tipos e preços. No segundo andar tem um espaço para exposições e a rampa que dá acesso ao prédio da direta onde fica o aquário.

Oceanário de Lisboa

Oceanário de Lisboa

Lá dentro há uma divisão entre os habitats marinhos: Atlântico, Antártico, Pacífico e Índico. Podemos visitar esses habitats em dois níveis: o terrestre e o subaquático.

No nível terrestre o que eu mais curti foram os pinguins e as lontras marinhas.


As lontras são as mais fofas e fotogênicas. Elas ficam nadando de costas e olhando pra câmera...hahaha...Apaixonantes, vontade de pegar e levar pra casa!


As lontras comem cinco vezes por dia, para manterem a temperatura do corpo constante e elevada, consomem 30% do seu peso diariamente.


Em todo o oceanário tem sonoplastia com os sons dos habitats para entrarmos no clima. No nível subaquático esses sons nos transportam para o fundo do mar.

Pela disposição dos diferentes aquários os quatro habitats representados convergem para o centro, onde tem o tanque central. A decoração de cada habitat prolonga-se pelo aquário central, criando a ilusão de estarmos diante de um aquário só mas, na verdade, janelas de acrílico dividem os quatro habitats do aquário central. A impressão que temos é que todos os peixes estão no mesmo aquário.

É muito lindo...



Oceanário de Lisboa

Eu ficava me perguntando como é que os tubarões convivem no mesmo ambiente que outros peixes sem comê-los e como eles faziam para alimentá-los. Pesquisei no site do Oceanário e vi que eles ficam no aquário central e são alimentados duas vezes por semana, com a ajuda de uma vara.

Tubarão Oceanário de Lisboa

Os peixinhos pequenos são lindos!



E tem também essas rãs pequeninas, fofas


Olha o tamanho delas em comparação com meus dedos.  

O foto saiu tremida mas é só pra termos uma ideia de tamanho
É um ótimo passeio pra qualquer idade, mas eu fico imaginando que pra crianças deve ser muito mais legal, não acham? Sempre que estive lá pensava nos meus sobrinhos, se pudesse levava todos comigo...

Bisous!


segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Brigadeiro Romeu e Julieta

Eu adoro goiabada com queijo, não sei como é no resto do país mas aqui no Rio chamamos de Romeu e Julieta (sei lá porque..rss)

Sempre gostei também de docinho de leite condensado com queijo parmesão ralado, então resolvi fazer e colocar uma camadinha de goiabada derretida por cima. Ficou ótimo, já fiz 3 vezes e foi o maior sucesso. Na verdade, na primeira vez fiz em ponto de enrolar e recheei com quadradinhos de goiabada, fica bom também, mas dá muito trabalho, detesto enrolar brigadeiro. Então passei a fazer pra colocar em copinhos mesmo.

Brigadeiro Romeu e Julieta

Anota aí:

1 lata de leite condensado
50 gramas de queijo parmesão ralado 
1 colher de chá de manteiga (coloco bem pouco mesmo e acho até que dá pra fazer sem)
Cozinhar em fogo brando até engrossar (aquele ponto de brigadeiro pra comer de colher)

Pra cobertura de goiabada é só colocar um pouco de goiabada pastosa, se não achar dessa é só derreter um pedaço do doce em barra com um pouquinho de água.

Bisous!

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Filmes Franceses Favoritos- Parte 2

Na minha primeira lista de filmes franceses (essa aqui) só coloquei os leves, comédias ou comédias românticas. Agora chegou a vez de falar dos filmes franceses que me fizeram chorar (e quem me conhece sabe que eu sou dessas que choram muitooo vendo filme- choro até vendo comédias, mas abafa...rss).

Então, peguem seus lencinhos e venham lavar a alma comigo:

*Intocáveis (Intouchables)
Começando pelo filme mais visto na França em 2011 e o mais rentável de toda história do cinema francês. Sucesso de publico e crítica, é uma comédia dramática baseada em uma história real, aborda a relação entre um milionário tetraplégico, Philippe, e o recém contratado auxiliar de enfermagem, Abdel, um problemático imigrante senegalês. É um filme delicioso, bem realizado, com atores impecáveis e  um humor muito peculiar, mas mesmo assim eu chorei... horrores.


*E Se Vivêssemos Todos Juntos (Et si on Vivait Tous Ensemble)
Cinco amigos já na casa dos 70 anos resolvem  morar juntos quando a saúde deles começa a declinar e um deles está prestes a morar num asilo. No elenco os mais conhecidos são Jane Fonda (falando francês), Geraldine Chaplin e Daniel Bruhl (ator alemão que fez Adeus, Lenin! e Edukators).
Esse filme me tocou muito, ou seja, chorei horrores.



*O Primeiro Dia do Resto da Tua Vida(Le Premier Jour du Reste de ta Vie)
Narra a história de uma família de cinco pessoas: pai, mãe e três filhos, uma típica família francesa. O Filme mostra os cinco dias mais importantes na vida de cada um, abordando as diferentes fases do processo de amadurecer/envelhecer. Não se foi porque o vi sozinha de madrugada, mas achei esse filme sensacional, preciso ver novamente pra avaliar se é isso tudo mesmo..rss. Chorei do início ao fim.


*Piaf- Um Hino ao Amor (La Môme)
Conta a vida sofrida da cantora Edith Piaf desde a infância até a morte. Ela foi abandonada pela mãe, criada pela avó, ficou cega aos 3 anos, recuperou a visão milagrosamente aos 7 anos. Depois foi viver com o pai alcoólatra, cantava nas ruas de Paris até ser descoberta em 1935. Teve fama, dinheiro, amizades mas a vida foi sofrida até o fim, tão sofrida que eu, adivinhem, chorei durante o filme inteiro.



Por hoje é só. Chega de chorar!
Bisous!

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Bruges: A Veneza do Norte

Bruges (Brugge em Neerlandês) é capital da província de Flandres Ocidental, na região de Flandres, noroeste da Bélgica.

Cidade medieval que parece ter saído de um conto de fadas, Bruges é chamada de "Veneza do Norte" por causa dos inúmeros canais que atravessam a cidade e o seu Centro Histórico é, desde 2000, Patrimônio da Humanidade.

Fiz um bate-volta a partir de Paris em 2011, mas acho que a cidade merece mais que isso, da próxima vez quero ficar pelo menos uns 2 dias.

Logo na chegada nos deparamos os Jardins das Beguinas de Flandres, também Patrimônio Histórico.
Begijnhof , construído no século XIII, é uma espécie de convento para mulheres que queriam viver uma vida dedicada à Deus sem serem ordenadas formalmente.

Bruges Jardim das Beguinas de Flandres

Em seguida vemos os canais que circundam a cidade.

Bruges

Bruges

Já no centro encontramos a cervejaria local, a De Halve Maan, cujo símbolo é uma meia lua.

Bruges Cervejaria De Halve Maan


Entre os séculos XII e XV, Bruges era uma das principais economias da Europa, a cidade era repleta de comerciantes vindos dos quatro cantos do mundo. A decadência aconteceu quando o Rio que ligava a cidade ao mar foi assoreado e os navios ficaram sem acesso ao porto da cidade. 400 anos depois a cidade renasceu e hoje em dia é recebe uma quantidade enorme de turistas.

A praça central, Markt, ainda preserva boa parte do seu traçado original e é o coração da cidade

Bruges

Bruges

Na praça fica o Campanário de Bruges, principal símbolo da cidade, uma torre medieval construída no século XIII. Pra chegar ao topo é preciso encarar uma pequena escadaria de 366 degraus! Eu passei somente um dia lá e não tive tempo nem disposição para ir conferir a vista e o carrilhão com seus 47 sinos. Fica pra próxima...

Campanario de Bruges

Sentamos num restaurante na praça pra provar as famosas Moules Frites, mexilhões cozidos no vapor com vinho branco e aipo acompanhado de batatas fritas.


Não sou muito fã de mexilhões mas tinha que provar né!

Moules Frites
as fritas ficaram escondidas atrás do prato.
Pra acompanhar uma cerveja bem feminina, fabricada com cerejas.

Cerveja de Cereja

essa é minha irmã Daniela com a cerveja e o pão de ervas que serviram de entrada.
É possível e muito recomendável passear de barco pelos canais para ver a cidade de outro ângulo

Canal Bruges

Canal Bruges

Canal Bruges

Canal Bruges

Canal Bruges

passeio de barcoBruges

No quesito comprinhas, não dá pra sair de lá sem comprar:

Rendas


Chocolates



Deliciosos!


quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Je Suis Charlie

Hoje é um dia triste.
Sem palavras pra classificar tamanha barbárie do atentado à redação do Charlie Hebdo em Paris.
Nós somos todos Charlie.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Arredores de Lisboa: Óbidos

Óbidos é uma vila medieval toda cercada por uma muralha que fica no alto de uma colina a 80 km de Lisboa.
É uma viagem no tempo, sou viciada, chega a ser quase um toc, é obrigatório pra mim: sempre que vou a Lisboa tenho que ir a Óbidos.

Pra tentar explicar o porquê desse fascínio tenho que resumir um pouco a história do lugar:
A vila foi fundada pelos Celtas em 308 a.C, no século I foi conquistada pelos Romanos, depois pelos Visigodos no século V e pelos Mouros no século VIII ( eu sempre fico quando penso que estou  num lugar com tanta história).

Em 1148 D. Afonso Henriques tomou a vila dos Mouros e em 1210 D. Afonso II a doou para a sua mulher, D. Urraca. Em 1282 D. Dinis fez o mesmo e a partir daí a vila passou a fazer parte do dote de todas as rainhas portuguesas até 1834. Quem mandava lá eram elas, por isso Óbidos era conhecida com Vila das Rainhas, pra elas a vila era o local de descanso e refúgio das desavenças da corte.

Como a vila é toda cercada pela muralha só tem uma entrada/saída:


Por dentro, a Porta da Vila que é do século XVII, é revestida de azulejos.

Óbidos Porta da Vila

Sempre fica um músico ali na entrada tocando música clássica, o que ajuda a criar o clima.

Porta da Vila

É possível passear pelos 1,5km de muralha que cerca a vila. É bem alto e dá um certo medinho na hora de subir, mas vale a pena, a vista lá de cima é linda.


Óbidos vista da muralha

Óbidos Vista da Muralha


Óbidos vista da muralha
pra vcs entenderem porque dá medinho, é alto e não tem proteção- foto Lais Azevedo
Lá embaixo a vila é um charme, as casas todas branquinhas com detalhes em azul ou amarelo.




Igreja de Santa Maria, provavelmente fundada no período visigótico, ela foi transformada em mesquita durante a ocupação árabe.

Igreja de Santa Maria


 Adoro beber o café na Xícara feita de biscoito e revestida com chocolate


Outras vistas da vila



No fundo encontramos o Castelo que é uma das 7 Maravilhas de Portugal. Nele, hoje funciona uma pousada, a Pousada do Castelo


Pousada do Castelo

Não visitei ainda o interior da Pousada mas tenho a intenção de um dia me hospedar lá.
Olhando no booking.com uma diária pra maio deste ano está saindo a 165 euros, barato não é mas para os padrões europeus é um preço bem razoável. Acho que vale a pena passar pelo menos uma noite lá. Está na minha whish list para próxima viagem!

Como  chegar:
Pegar o metrô até a estação Campo Grande (linha verde), de lá saem autocarros (ônibus) da Rodotejo em vários horários, a passagem custa cerca de 8 euros.

Em Lisboa existem empresas que oferecem passeios que combinam Fátima, Batalha, Nazaré e Óbidos no mesmo dia, fica meio corrido mas é uma boa opção para dispões de pouco tempo.
Já fiz esse passeio com a Inside Lisbon, custa 59 euros sem o almoço.

Bisous!